É hora de dizer adeus a um sonho para abraçar outro

Eu nunca tive grandes objetivos na carreira. Nunca fui aquela pessoa super planejada “tal idade em tal cargo”. Acho que, dentro de mim, o ensinamento da minha mãe sobre estudar pra aprender – e não pra tirar nota – se refletiu em tudo. Os movimentos foram pensados, mas preciso confessar que as minhas decisões sempre tiveram um grande peso de intuição e, quando eu olho pra trás, me sinto satisfeita com o que vejo.

Some-se a isso o fato de que eu sou bem esquisita, porque adoro estudar/estruturar, mas sou a pessoa da experiência total e profunda, o que pode não ser muito bem compreendido num primeiro momento.

É meio assim: eu tô na estação. Abriu a porta do trem, eu entro. Sinto e decido se quero seguir nele. Senão, desço assim que possível.

A única coisa da qual eu sempre tive certeza: que seria professora, mas isso estava lá nos 50 anos, como se eu quisesse coroar uma vida nesse lugar que, pra mim, é de muito privilégio, por ser alavanca de tanta coisa.

E aqui estou eu, antes dos 40, decidida a antecipar essa vivência por ideologia. Depois de quase 10 anos empreendendo paralelamente e aprendendo MUITO, pra mim faz todo sentido abraçar essa nova fase com a mesma dedicação com que realizei o meu mundo corporativo até hoje: vivendo o sonho todo dia.

Aos amigos da Clínica Fares, o meu muito obrigada e me sinto honrada por, entre outras coisas, ter idealizado e desenvolvido o programa de relacionamento médico One-Stop-Life, pioneiro na interlocução assistencial; sou grata por ter participado e influenciado tantos movimentos importantes e que, certamente, ficarão na base de um futuro próspero e brilhante.

Agora, esvazio meu copo para enchê-lo de outras coisas. Se vai dar certo, não sei, porque sequer tenho as bordas do que é dar certo, nessa amplidão que é o viver com coragem.

Se eu precisar ou quiser voltar a trabalhar tradicionalmente em empresas como funcionária, tudo bem também.

O que eu quero é estar a serviço.

Integralmente, sem precisar separar as mulheres que me habitam por completo.

E isso já é ter sucesso.

Em frente, sempre 🙂